segunda-feira , 23 outubro 2017

A mudança do “brincar”

Muitas mudanças ocorreram em nossa sociedade nos últimos anos devido ao grande avanço tecnológico e do acesso aos mais diversos meios de comunicação. Isso tudo afetou diretamente o comportamento das pessoas, inclusive o universo infantil.
O “brincar” se modificou, os momentos de lazer das crianças está muito diferente do que já foi um dia. As brincadeiras em grupo, as cantigas, os jogos ao ar livre, foram trocados por vídeo games, jogos no celular, computadores.
Brincar é coisa muito séria. Toda criança deveria poder brincar. A brincadeira contribui para o processo de socialização das crianças, oferecendo-lhes oportunidades de realizar atividades coletivas livremente, além de ter efeitos positivos para o processo de aprendizagem e estimular o desenvolvimento de habilidades básicas e aquisição de novos conhecimentos.
A cada faixa etária os estímulos devem ser diferentes, pois a cada passo do desenvolvimento objetivos diversos são propostos. A Escola tem grande parcela de ajuda nesse sentido, uma vez que, a utilização pedagógica da brincadeira se faz presente no cotidiano do âmbito escolar. Mas é importante que isso tenha uma continuidade em casa.
As brincadeiras junto com pais, irmãos, e demais familiares são interessantes inclusive para estimular o uso de regras e criar um hábito divertido entre a família, aproveitar o tempo ao invés de ficar somente no computador ou televisão.
Para os pais esse momento pode ser mais difícil, pois a falta de tempo e o trabalho não favorecem que isso ocorra com certa frequência, mas é importante que se faça um esforço, pelo menos uma vez por semana. Fica a dica.

Simone N. Strazzabosco

  • Psicóloga CRP 07/12112, Neuropsicopedagoga e Psicooncologista.

Os comentários estão fechados.

Scroll To Top