sábado , 23 outubro 2021

Clube 7 de Setembro renasce para a sociedade

Clube 7 de Setembro renasce para a sociedade
11998966_984225714969521_4817830374990079244_n

Um dos mais tradicionais clubes sociais de Santiago comemora no ano que vem seus 80 anos de história e, busca ressurgirpara voltar a ser atuante na sociedade santiaguense.
Depois de algumas administrações desastrosas que afundaram o clube em dívidas e o abandono na manutenção dos prédios da sede social, onde quase levaram ao fechamento da entidade, a atual diretoria presidida por Januário Charão Chagas, que assumiu no final de 2013 (quando era vice-presidente), depois da renúncia do presidente da época,Oreste Ferreira, hoje trabalha com imensas dificuldades financeiras para manter as portas abertas da entidade, sendo que neste período, já foram pagos mais de R$ 120 mil em dívidas judiciais, trabalhistas e sociais que estavam acumulados há anos. Atualmente, o clube já investiu mais de R$ 50 mil em reformas da cozinha, banheiros do salão de eventos, substituição dos parques do ginásio de esportes, pinturas do ginásio da bocha, instalação de climatizadores no salão nobre, pintura externa do clube, reforma na coberta do ginásio de esportes, substituição de vidros, reforma do almoxarifado, colocação de luzes de emergência e a instalação de alarme contra incêndio em todo o clube. Na área de material imobilizado, foram adquiridos 300 pratos com jogos de talheres, 100 taças de vidros, panelas de alumínio, reforma de dois fogões industriais, pintura e reforma nas cadeiras do clube e o conserto de dois freezers que estavam desativados. 
Hoje, o clube conta com um número reduzido de sócios pagantes, sendo que grande maioria são associados na categoria remidos (que já contribuíram o tempo necessário e tem o seu direito adquirido), o que dificulta um pouco a continuação deste bom trabalho de recuperação que vem sendo realizado pela atual diretoria. As fontes de renda são: do aluguel da quadra de esportes, aluguel do salão nobre, das promoções desenvolvidas pelo clube e de doações que o comércio por vez disponibiliza para a entidade. 

A sede campestre,  área adquirida no final dos anos 80, pelo então presidente Jorge Damian, localizada no Bairro Missões, se tornou um “elefante branco”, principalmente, pela incompetência de algumas diretorias, que a exemplo da sede social, deixaram se deteriorar um patrimônio adquirido com o dinheiro do seu quadro social. Inaugurada em meados de 94, pelo então presidente Dorvalino Braz, a sede campestre era um cartão de visita a toda sociedade santiaguense, um espaço com muito verde e com ótima infraestrutura, onde o trabalho incessante do diretor da sede campestre, saudoso Gentil Ferreira, fazia do amplo espaço uma área muito disputada, principalmente, na temporada de veraneio dos associados. Hoje, o que se vê é um cemitério de obrasse danificando com o tempo, um amontoado de lixo e um espaço atirado às traças. A atual direção, com o aval do Conselho Deliberativo, achou por bem arrendar ao um empresário santiaguense o espaço, que por um período de 15 anos de arrendamento, pagará mensalmente um salário mínimo de aluguel ao clube, e ainda, irá realizar obras de recuperação dos prédios e de todo o espaço, que será explorado durante este tempo em realizações de eventos sociais. Depois deste período, todas estas obras realizadas no local ficarão como bem feitorias para a entidade.
O trabalho sério que vem sendo desenvolvido pela atual direção, conseguiu nestes 4 anos, devolver aos associados, um prédio que ofereça as mínimas condições para o lazer e uma programação social que retoma o interesse do quadro de sócios. Mesmo nas dificuldades, o clube 7 de Setembro renasce para continuar inserido na sociedade santiaguense.

 

Os comentários estão fechados.

Scroll To Top