segunda-feira , 6 dezembro 2021

Colheita da soja é aberta oficialmente em Tupanciretã

A 7ª Abertura Oficial da Colheita da Soja, que ocorreu sábado, 29, e contou com a presença do Governador Tarso Genro, do Ministro da Agricultura, Neri Geller e o Secretário da Agricultura, Pecuária e Agronegócio, Claudio Fioreze, marcou aquela, que deverá ser a maior safra da história. O evento ocorreu na propriedade do agricultor Armindo Munhol, localizada no município de Tupanciretã. As projeções de números positivos foram explanadas com entusiasmo pelas autoridades e lideranças, durante a abertura da colheita da soja. O ministro da Agricultura, Neri Geller, destacou a responsabilidade do governo em fazer os enfrentamentos necessários e também fez referência aos programas federais e estaduais de apoio aos produtores rurais.

O município de Tupanciretã produz aproximadamente 146 mil hectares de soja. Uma produção de em media 45 sacos por hectare. Seu Armindo Munhol, que há 20 anos iniciou a atividade agrícola no município, disse que o município por ser o maior produtor de soja do estado, também é pioneiro na adoção e criação de novas tecnologias.

Cenário da Soja
Nos últimos três anos, o Estado registrou 20% de aumento na área. O destaque foi para a Metade Sul, incluindo as terras baixas, com quase 350 mil hectares, do total de 700 mil hectares. Cultivar desenvolvida pelo Instituto Riograndense do Arroz (Irga) permitiu o plantio na várzea. Tradicional na pecuária de corte, a região acrescenta a soja no sistema produtivo por questões econômicas e porque dá sustentabilidade à produção de arroz e de pecuária de corte.

A área plantada de soja no Brasil cresceu 115% desde o ano2000. Aprodução cresceu mais: chegou a 175%, devido aos ganhos de produtividade. No mesmo período, o RS teve ganho de área plantada de 60%, e produção igual à registrada no país, 175%, confirmando que no Estado os ganhos de produtividade forma ainda maiores que no restante do país.

O consumo acompanhou a evolução da produção: no mesmo período, atingiu 52%, passando para 261 milhões de toneladas. As importações no mundo também seguem em alta: 96 milhões de toneladas na última safra. A China, maior importadora, comprou 63 milhões de toneladas.

Com isso, incrementou em 210% suas importações nos últimos dez anos. O estoque mundial está calculado em 60 milhões de toneladas. Nos últimos cinco anos evoluiu 25%. No Brasil, segundo a Conab, a área estimada de grãos em 2013 chegou a 55,3 milhões de hectares, crescimento de 4% ante a safra 2012/2013. Destaque para soja, trigo e algodão que apresentaram maior incremento. Na safra passada, a soja ocupou 27,7 milhões de hectares, produzindo 81,5 milhões de toneladas.

O consumo interno abocanhou 42 milhões de toneladas. Grande parte, 36,9 milhões, foi esmagada, resultando em 29,4 milhões de toneladas de farelo, 7,4 bilhões de litros de óleo, dois bilhões de litros de biodiesel. Do farelo, 48,6% tiveram como destino o próprio Brasil, 50,6% a exportação e 0,8% o estoque.

O principal destino do óleo foi o mercado interno: 75,6% foram consumidos pelos brasileiros. À exportação foram 22,9% e 1,5% para estoque final. A mesma safra, porém, exportou 36,4 milhões de toneladas de soja, das quais restaram 3,1 milhões de toneladas para estoque final.

Levantamentos para a safra brasileira de soja mostram 29,5 milhões de hectares de área cultivada. A produção total deve chegar a 90,3 milhões de toneladas, e a produtividade média, a três mil quilos por hectare. Previsões da USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) e da Fiesp apontam para os próximos dez anos no Brasil aumento de 47% na produção. As exportações tendem a crescer 75%, com acréscimo de apenas 21% no consumo interno ou transformação do produto.

36f1ec928362c899ca034931f815bd361Foto: Prefeitura de Tupanciretã

 

Os comentários estão fechados.

Scroll To Top