segunda-feira , 23 outubro 2017

Combustíveis pesam no bolso

Combustíveis pesam no bolso

Crise no País, corrupção para todo o lado entre os que deveriam trabalhar pelo povo e quem paga esta conta, são os brasileiros, que batalham pelo seu sustento e veem cada vez mais o Brasil afundar. São muitas as críticas contra os governos, mas nenhuma medida é tomada, políticos são presos, mas a roubalheira continua.
Por não saberem de onde tirar dinheiro, pois os focos fáceis estão acabando, agora as medidas é angariar valores através de impostos, fazendo com que os produtos fiquem mais caros para os consumidores e há quem ainda pense que a situação está boa.
Nos últimos dias o assunto mais falado tem sido o novo aumento nos combustíveis, onde o governo fez o anúncio de alta de R$ 0,41 por litro de gasolina e de R$ 0,21 por litro de diesel e, os proprietários de postos em muitas cidades do País mudaram os preços nas bombas ainda na manhã de sexta-feira, 21 e, esta nova suba nos combustíveis não afeta somente os preços da gasolina, do diesel e do etanol, este aumento terá um efeito dominó, vai atingir o transporte público, transporte de cargas que por consequência aumentarão o custo do frete, suba nos produtos nos mercados e também aumento na conta de energia elétrica, já que o diesel também é o combustível usado em parte das termoelétricas que geram energia no país.
O atual governo do País aumenta pela segunda vez os tributos, para poder cumprir a meta fiscal. No mês de março ocorreu o aumento do Imposto sobre Operações Financeiras às cooperativas de crédito e ainda aguarda aprovação para voltar imposto há outros 50 setores.
Após o aumento, o juiz substituto, Renato Borelli, do Distrito Federal entrou com uma liminar, para tentar derrubar a suba nos combustíveis, porém o governo alegou que a suspensão do aumento nos tributos causaria um prejuízo diário de R$ 78 milhões e que sem a receita prevista com o referido imposto, alguns projetos do governo poderiam não ter continuidade. Toda esta pressão do governo fez com que a liminar fosse derrubada e os preços continuassem altos.
Santiago não ficou de fora deste aumento nos combustíveis e, o jornal A Folha esteve na manhã de quarta-feira, 26, em todos os postos do município e realizou uma pesquisa de preços e a média de suba em relação ao preço que estava e os tributos ficaram em R$ 0,20 para o diesel e R$ 0,30 para a gasolina. Estes valores, por mais pequenos que sejam, geram um grande gasto para quem precisa encher o tanque. Donos de postos também sofrem com o aumento, pois acabam tendo que pagar ainda mais ao adquirirem o combustível.
Mais uma vez, os brasileiros pagando a conta, muitos com salários atrasados, impostos sobem e aumento de salários quase nada e a situação só tende a piorar.

Os comentários estão fechados.

Scroll To Top