quarta-feira , 24 outubro 2018

Coordenadorias Regionais de Obras Públicas

Texto: Carine Martins
Foto: Carine Martins

Buscando descentralizar as demandas da Secretaria de Obras, Saneamento e Habitação (SOP), os trabalhos são distribuídos entre 28 Coordenadorias Regionais de Obras Públicas (CROP). Cada escritório é responsável por um conjunto de municípios visando agilizar os processos.
Às Coordenadorias Regionais de Obras Públicas compete realizar, por meio do setor técnico, trabalhos de fiscalização de obras, execução de obras públicas novas, de ampliação, de adaptação, conservação, recuperação e melhoria de prédios públicos próprios, cedidos ou alugados pela administração pública estadual.
Santiago conta com a 26ª Coordenadoria, que tem como coordenador o Engenheiro João Sérgio Dorneles Cardoso, a qual atende os municípios de Cacequi, Capão do Cipó, Itacurubi, Jaguari, Nova Esperança do Sul, Santiago, São Borja, São Francisco de Assis, São Vicente do Sul e Unistalda.
Em entrevista ao Jornal A Folha, o maior número de obras, são realizadas em escolas, até mesmo pela quantidade de instituições nos municípios, sendo que somente em Santiago são 18 escolas estaduais. Já os outros órgãos públicos possuem menos prédios, como é o caso do Presídio que contém um prédio, sendo que a maioria dos serviços prestados é de reforma e recuperação, obras novas são um pequeno percentual.
Dentro das reformas, segundo o engenheiro João Sérgio, existem as obras emergenciais, que dependem da caracterização do serviço, alguns exemplos são os estragos causados por vendáveis, em que a reforma ou até mesmo reconstrução entra como prioridade. Segundo Sérgio, também são realizadas obras que entram nos recursos do BIRD – Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento. O BIRD concede empréstimos financeiros e assistência para o desenvolvimento para os países que tenham antecedentes de crédito respeitáveis.
Para chegar até a reforma, construção ou recuperação, são feitos projetos e a obra passa por uma licitação, com a empresa licitada e contratada, e com a ordem de serviço em mãos, dá se início à fiscalização da obra. Hoje, a 26ª Coordenaria, com sede em Santiago, possui dois Arquitetos e fiscais, Cíntia Dornelles e Jorge Brum Junior. Após a conclusão da obra é feito um termo de recebimento provisório, depois do decorrer do prazo do contrato que é de aproximadamente 90 dias, é feito outro termo, este de recebimento definitivo.
Em relação às licitações, o engenheiro destaca que tudo passa por um sistema próprio da SOP – Secretaria de Obras Públicas do RS, fazendo com que as coordenadorias não consigam saber qual empresa participará. Isto abre brecha para que empresas de diferentes regiões consigam obras em Santiago, ou qualquer outro município da coordenadoria, empresas estas que, muitas vezes, não tem qualidade na prestação do serviço, deixando a desejar e prejudicando tanto a instituição pública, como também a coordenadoria, devido a isto a fiscalização se obriga a não aceitar algumas obras, tendo, em alguns casos, que rescindir contratos. Segundo o responsável pela coordenadoria, o Estado, hoje, possui preços definidos para as obras, tudo através do sistema.
É importante destacar, que durante o atual governo, muitas obras foram realizadas, totalizando R$ 2.505.957,86, dentro deste total pode-se destacar reformas em escolas, obras emergenciais, reformas elétricas, entre outros. Ainda existe muitas obras que estão licitadas, umas quase concluídas e outras ainda no início, as quais devem ser concluídas ainda no governo Sartori.
A 26ª CROP está situada no Entroncamento BR-287 e BR-289 e atende pelo telefone (55) 3251.1080.

Escola Borges do Canto, São Vicente do Sul

 

 

Escola Guilhermina Javorski, em Jaguari

Escola João Goulart, em São Borja
Fotos: Divulgação

KODAK Digital Still Camera

Os comentários estão fechados.

Scroll To Top