domingo , 21 julho 2019

Doses de vacina devem chegar no início da semana

Esta semana o jornal A Folha esteve na Secretaria de Saúde do município, onde conversou com a secretária Ana Souto, sobre a vacinação contra a Gripe H1N1.

Ana destaca que o Ministério da Saúde que faz a distribuição das doses para o Estado, sendo que como todos os anos, desde o surgimento da doença e consequentemente da vacina, é o mesmo grupo considerado de vulnerabilidade, que são as crianças de seis meses até os cinco anos de idade, os idosos, sendo o idoso considerado terceira idade após os 60 anos, depois as pessoas que tem doenças crônicas, comprovando o problema com atestado médico e puérperas.

Foto: Filipe Scalon

Foto: Filipe Scalon

A secretária ressalta que não existe vacina para todas as pessoas, “não tem vacina suficiente, os estudos estabelecem grupos priorizados, nesses grupos que devemos fazer, se tiver mais vacinas nós faremos, tudo que for determinado nós estaremos prontos para fazer e realizar para o município,  nós temos 11 salas de vacinas, cada unidade e ESF tem uma sala de vacina, além do Centro Materno Infantil”, frisou Ana.

Segundo Ana, durante a campanha, já foram atingidos 61% das vacinas e, até o início da semana que vêm, deverão chegar as mais doses, priorizando os grupos vulneráveis.

“As doses vêm do Ministério da Saúde, ou seja,isso é responsabilidade federal, porque existe uma logística federal muito mais avançada que tem profissionais habilitados, que os municípios não têm, então que estabelece esse processo, e o ministério faz essa política voltada para todo o Brasil, com isso ficou determinado, para satisfazer os grupos prioritários gestantes, puérperas, idosos, portadores de doenças crônicas, e o grupo de crianças e, nós dependemos da chegada de vacinas”, comentou.

Até o momento, segundo a secretária, vieram em torno de 9 mil doses, a chegada das demais depende do ministério. Ana comenta um problema enfrentado no Brasil, que é a cultura, as pessoas não se previnem das doenças, não tem consciência que prevenir ainda é o melhor remédio. A secretária comenta que dois procedimentos básicos ajudar na prevenção contra a gripe, lavar as mãos com álcool gel e também abrir janelas, evitando ficar em locais fechados e sem ventilação.

Os comentários estão fechados.

Scroll To Top