quarta-feira , 20 outubro 2021

Números de casos de Covid-19 aumentam em outubro

Desde março, o Coronavírus tem assustado a população brasileira, que busca de várias maneiras se proteger deste vírus, que até o momento ainda não teve solução.

Nos últimos meses, uma queda no número de casos em no Estado deixou as autoridades e a população confiantes. Todo o Rio Grande do Sul, que está sob estratégia do Governo de Distanciamento Controlado por bandeiras, chegou a ficar inteiro em bandeira laranja, com risco médio de contágio.

Este cenário de diminuição de casos fez com que a população relaxasse nos cuidados, tanto de higienização, como de distanciamento e uso de máscaras. E o resultado deste relaxamento foi um novo aumento no número de contaminados.

Em Santiago, o mês de outubro foi o que teve mais registros de casos, totalizando até o fechamento desta edição, 240. De março até outubro, o município havia registrado dois picos da doença, um em junho, quando foram registrados 112 casos e no mês de julho, com 107 casos. Neste mês, somente em três dias, conforme os boletins oficiais da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal da Saúde, foram registrados, em Santiago, 60 novos casos de Coronavírus. Sendo 18 notificações na terça-feira, 19 na quarta-feira e 23 na quinta-feira. É importante analisar que os casos registrados em outubro estão muito próximos do somatório de todos os casos registrados de março a setembro. Situação que preocupa, pois mostra que a população está deixando de lado os cuidados para evitar a contaminação.

Até a quinta-feira, 29 o município estava com 100 pessoas com o vírus ativo. Sendo cinco hospitalizadas e 95 em quarentena domiciliar. Desde o início da pandemia foram contabilizados 644 casos. Em relação as internações, no Grupo Hospitalar Santiago, a UTI Covid está com 29% de ocupação e as UTI’s operacionais com 100% de ocupação.

Santiago contabilizou dez óbitos, todos idosos, sendo que a maioria possuía outras doenças que foram agravadas com o Coronavírus. A 10ª vítima foi o pastor da Igreja Quadrangular Independente de Santiago, Adão Noé da Silva Monteiro, de 67 anos, que faleceu no domingo, 25, no Grupo Hospitalar Santiago. 

Adão internou na Ala Covid do GHS no dia 18, com dificuldade respiratória, tosse seca, saturação baixa, náusea, dor de cabeça e estenia. Passou por exame PCR que teve resultado positivo. O pastor estava recebendo oxigênio por máscara de Hudson e apresentava muito esforço respiratório. No domingo, os sintomas pioraram e ele foi entubado, vindo a óbito pouco tempo depois.

Na sexta-feira, 23, o mapa preliminar, já na sua 25ª semana do modelo de distanciamento controlado apresentou somente a região de Cruz Alta em bandeira vermelha no Estado.

 

Os comentários estão fechados.

Scroll To Top