segunda-feira , 27 maio 2019

Onda de furtos assusta população

Capitão Silvio Gavioli do Amaral

Mas, comparando com o mesmo período de 2017, ouve uma redução de 26 % neste tipo de crime

Nos últimos dias, uma onda de furtos tem deixado a população preocupada em Santiago, para falar sobre o assunto, o jornal A Folha entrevistou o Capitão Sílvio Gavioli do Amaral, comandante do 1º Esquadrão de Policiamento do 5ºRPMon, confira a entrevista na íntegra:

– Em relação ao mesmo período de 2017, quantos casos de furto/arrombamentos ocorreram? Teve um aumento significativo?

Inicialmente cumpre ressaltar que acompanhamos diariamente os indicadores criminais na nossa região para direcionar as ações de Polícia Ostensiva, de forma a coibir ações dessa natureza ou de qualquer outra que venha a alterar a Ordem Pública e a paz social, é nossa missão.
Sobre os furtos arrombamentos em especial, são ocorrências que têm um impacto forte na área policial e na sociedade. Estamos centrados nesta questão, mas sem descuidar de outras. Porém, comparando o mesmo período de 2017 com 2018, até a presente data, conseguimos diminuir um número bem considerável destes delitos. Representando em números relativos, teve uma redução de 26% dos furtos arrombamentos, segundo o sistema Avante da BM.
Apesar do nosso esforço, temos alguns fatores desfavoráveis, como a reincidência criminal que é muito forte (e não é só em nossa região), onde algumas pessoas fazem do crime seu meio de vida e cometem a maioria dos delitos; pesa ainda, vários fatores de ordem social e econômica, além da falta de vagas nos sistemas carcerários, ocasionando certa rotatividade nos presídios. É um prende e solta!
Mesmo assim, não há justificativas plausíveis para quem não respeita o patrimônio de terceiros, a vida e a integridade física de seus irmãos.
Temos também, a questão da receptação, pois tem “alguém” que compra estes produtos a preços bem abaixo do mercado, fazendo com que a atividade criminosa, se torne viável. No entanto, quem participa desta mercancia, incide no crime de receptação, previsto no Código Penal com penas de reclusão que podem chegar na forma qualificada a oito anos de reclusão, mais multa.

– A Brigada Militar atua forte contra a criminalidade, busca resolver todos os casos de maneira ágil, tem realizado várias prisões relacionadas ao tráfico de drogas, entre outros. O que mais pode ser feito para tentar inibir estes crimes?

No ano passado, realizamos na área de ação do Regimento, mais de 700 prisões em flagrantes, entre prisões por crimes de menor potencial ofensivo e de maior potencial.
Mesmo com esses resultados estamos intensificando abordagens a pessoas e veículos e a locais específicos (inclusive nos bairros), com o fito de prevenir e inibir delitos de toda a ordem. Com destaque ao combate ao Tráfico de Drogas, que fomenta muitos crimes, especialmente furtos e roubos. Dessa forma, esperamos contribuir com o desenvolvimento econômico e social da nossa região.

 – Hoje, Santiago possui Câmeras de Monitoramento na área central, porém muitos dos fatos estão ocorrendo nos bairros, qual sua opinião sobre esta questão?

Pois bem, o criminoso “em regra” sempre vai escolher um local que facilite sua ação, preferencialmente aqueles em que não existe nenhum sistema de vigilância, alarmes, câmeras, ausência de moradores, proprietários e, principalmente da Polícia. Claro, que com a colocação de câmeras de video monitoramento, acaba dificultando a ação de delinquentes, o que faz com que estes desloquem para áreas mais vulneráveis, onde não há esta dificuldade.
Importante ressaltar que qualquer sistema de vigilância, a exemplo de câmeras de vídeo monitoramento, não afasta totalmente a ocorrência de delitos, não podendo a sociedade “descuidar” com a segurança pessoal e patrimonial privada, colaborando assim com a segurança de todos.
Para finalizar, solicitamos que a comunidade ajude a Brigada Militar, através do 190, com informações sobre a existência de tais delitos, para que possamos agir rapidamente e melhorar ainda mais a segurança de todos.
Acreditamos que uma das melhores estratégias é “COMUNIDADE ALERTA, COMUNIDADE SEGURA” para resolver em partes, os problemas da Segurança Pública.
Por fim, gostaríamos de registrar o trabalho realizado por todos os seguimentos operacionais do Regimento, Setor de Inteligência, POE, ROCAM e efetivo do esquadrão, que vem atuando para manter os indicadores criminais controlados.

Confira alguns dos casos registrados:

No dia 22, às 08h25min, na Travessa Luiz Durgante, Bairro Guabiroba, em uma obra, um dos trabalhadores constatou o furto de uma extensão de 20 metros, três trenas, quatro quilos de arame, sete quilos de pregos e algumas roupas de trabalho. Os produtos estavam em um galpão que foi arrombado pelo teto.

Também na quarta-feira, 22, às 16h30min, um morador da Rua Cacilda Genro, Bairro Riachuelo, flagrou uma mulher saindo às pressas de sua residência. A ladra, de estatura mediana e pele morena, vestia um moletom cinza e carregava uma mochila vermelha, furtou uma carteira contendo R$ 170,00 e uma CNH em nome de Vanderlei Pereira.

Por volta das 20 horas do mesmo dia, uma senhora de 81 anos, moradora da Rua Zico Almeida, Bairro Carlos Humberto, se acordou com barulhos dentro de sua casa. Ao verificar, se deparou com um homem desconhecido dentro de sua cozinha. A idosa reside sozinha, gritou em busca de socorro e então o invasor fugiu. Ela deu falta de uma faca grande da cozinha e percebeu que uma porta da casa foi arrombada.

Às 11h59min de quinta-feira, 23, um morador da Rua Felipe Lopes, Bairro DAER, constatou o furto de várias peças de roupas que haviam sido deixadas no varal da residência na noite anterior. Foram furtadas roupas infantis e blusas.

Ainda na quinta-feira, 23, uma senhora de 40 anos procurou a Polícia Civil para relatar que saiu de casa, no Bairro Vila Nova, por volta das 18h50min e quando retornou, por volta das 21h50min, encontrou a porta dos fundos arrombada. Foram furtados um secador de cabelos da marca Britânia, um par de botas pretas em couro, um par de sapatilhas, um par de pantufas, bijuterias, dois celulares Nokia e Samsung, modelos antigos, seis calcinhas, coxas e sobrecoxas congeladas e um botijão de gás de 13 kg.

No dia 24, sexta-feira, foram registrados três casos. Em uma residência no Bairro Carlos Humberto, a moradora de 51 anos chegou em casa às 07h50min e percebeu que haviam invadido a residência por uma janela do banheiro que foi arrombada. Do local foram furtados um liquidificador, diversas peças de roupas e vários lençóis bordados.

 

Os comentários estão fechados.

Scroll To Top