segunda-feira , 6 dezembro 2021

Poloplast

Sonho que virou realidade
A empresa nasceu pelo espírito empreendedor e também pela necessidade de sobrevivência que todos temos. “Eu vim para Santiago por causa do exército, e eu sabia que teria um tempo limitado para ficar no exército, que era nove anos. Mas no decorrer do tempo, eu sempre quis ter meu próprio negócio”, contou João Batista de Castro, proprietário da Poloplast, juntamente com sua esposa Walkyria.
Depois começou pensar em que negócio poderia montar na cidade, conversou com algumas pessoas e então resolveu conhecer uma fábrica de embalagens, resolveu então procurar máquinas usadas para montar o seu próprio negócio. Sendo então encaminhado para um conhecido que tinha uma máquina para vender. “Vendi umas coisas que eu tinha e consegui comprar uma máquina. Contratei uma pessoa para treinar e trouxe a máquina para Santiago. Só que as máquinas que cortavam e soldavam as embalagens naquela oportunidade eram em parte manuais.
No ano de 1990, João comprou mais algumas máquinas automatizadas, e começaram a trabalhar em um pavilhão alugado, foi nessa época que estava começando a se estruturar o Distrito Industrial, então conseguiu um terreno no Distrito e construiu um pavilhão. A Poloplast então se instalou em 1991 no Distrito Industrial e de lá para cá foram realizados vários investimentos na empresa. Foram colocadas máquinas para fazer outros tipos de embalagens, bobinas picotadas, sacos de lixo, sacolas impressas.
Foram então adquirindo e agregando valor ao processo produtivo. Em 2002, a empresa aderiu ao PGQP, o que proporcionou participar em 2003 do Prêmio Talentos Empreendedores do SEBRAE, em que foram escolhidos como empresa Talentos Empreendedores. “Recebemos a premiação na Sogipa, em Porto Alegre. Foi bem marcante para a empresa”, comentou o empresário.
Segundo João, sonha-se em ser maior, mas hoje no Brasil existe uma complexidade em se vencer algumas etapas no ramo da Indústria. “As exigências na questão de funcionamento estão muito semelhantes às grandes empresas, então para uma pequena empresa, é mais difícil”, destacou. João também comenta que em função da participação no PGQP, conquistaram o Troféu Medalha. “Isso, naquela época teve um grande significado. Pois foi um esforço da empresa em se adequar a padrões de qualidade, pois tivemos que dar treinamentos, fazer controles, planilhas”, comentou. poloplast
Em 2011 a empresa teve seu pavilhão duplicado, foram adquiridas novas máquinas, o que agregou uma melhoria no faturamento. A Poloplast hoje, conta com dez colaboradores.  O trabalho é em equipe, pois cada um tem sua importância na empresa, senão a fábrica pára”, destacou o empresário. Além da produção de sacolas plásticas, estão lançando sacos de lixo, e outros produtos.
Atualmente a empresa além dos clientes em Santiago, conta com clientes em 15 estados, entre eles, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Santa Catarina. Possuem também como cliente a Dakota Calçados, a qual adquire na Poloplast, um saquinho especial, microperfurado, para colocar calçados. Essas vendas são feitas pela internet e também através de pregões eletrônicos.

Os comentários estão fechados.

Scroll To Top