sexta-feira , 22 outubro 2021

Prótese dentária

A prótese dentária é um dispositivo médico que é utilizado com o objetivo de substituir os dentes naturais perdidos, ou danificados, devolvendo aos pacientes a função natural dos dentes e estética. O tratamento com o recurso da prótese dentária consiste em “recuperar” os dentes perdidos, de forma, que essa alteração seja praticamente imperceptível.
Atualmente, existem soluções através do recurso das próteses fixas e das próteses removíveis.
As próteses fixas possuem várias vantagens, podendo ser efetuadas sobre o dente ou sobre o implante. As próteses fixas têm como principal objetivo reproduzir a dentição natural do indivíduo, com excelência na estética, resistência e durabilidade dos dentes danificados ou perdidos.
O Cirurgião dentista Juliano Fank Saldanha, Especialista em Próteses Dentárias e Reabilitação Oral, comenta que as próteses móveis são menos onerosas para o paciente, mas tem a desvantagem de ser móvel. “O implante, que surgiu a 30, 40 anos atrás, e que agora está sendo mais difundida, que o pessoal vem perdendo um pouco mais de medo. O implante é a substituição daquela raiz do dente que se perdeu. Existem próteses que são ancoradas na raiz que o paciente ainda possui. E quando isso não é possível, a solução é o implante dentário. É um parafuso, fixado no osso. Leva em torno de três meses para que o parafuso integre-se totalmente ao osso. Após esse tempo pode-se partir para a prótese. Se constrói o dente neste suporte. O parafuso substitui a raiz do dente”, comenta Dr. Juliano.
Ele também ressalta o cuidado que o paciente deve ter com a higiene. “Nestes casos, a visita ao dentista deve ser mais regular. A placa dentária também adere aos dentes artificiais, alterando sua estética e provocando irritação na gengiva. Se ele não for cuidado adequadamente, a bactéria entra na gengiva, infiltrando no osso e pode-se perder todo o implante”, acrescenta.
Caso o paciente não tenha nenhum dente na boca, mas não quer uma prótese removível, também tem solução. “Fazemos um estudo, uma tomografia para avaliar a qualidade do osso. Se estiver tudo certo, fazemos uma prótese em formato de ferradura e fixamos nesse osso”, comenta.
Dr. Juliano diz que antigamente o perfil dos pacientes eram os mais idosos, mas hoje isso mudou bastante. “Antes não existiam muitos recursos para salvar um dente, chegava a um ponto que a solução era extrair. Se o paciente perde um dente, quanto mais cedo se procurar um dentista para repor esse dente melhor, pois o osso ainda está intacto e temos mais apoio para fixar a prótese”.

Existem restrições?
“Existem restrições e cuidados, por exemplo, pessoas com osteoporose, pois alguns medicamentos podem dar problema em função do osso estar trabalhando diferente do normal. Mas a suspensão desses medicamentos já é o suficiente. Diabéticos, portadores de HIV, são fatores que acabam agravando, mas não que não possam colocar o implante. Pedimos vários exames, como sangue, coagulação, enfim, se tudo está certo, não existe restrição”, destacou.
O Dr. Juliano atende de segunda a sexta-feira, em seu consultório na Venâncio Aires 947, sala 04. Para maiores informação os telefones são 3251-0429 ou 99760658. Em alguns casos especiais atende-se também aos sábados pela manhã.

DentistaDr. Juliano Saldanha

Os comentários estão fechados.

Scroll To Top