quarta-feira , 27 outubro 2021

Senilidade Precoce

Simone Nascimento Strazzabosco, Psicóloga (CRP 07/12112), Neuropsicopedagoga e Psicooncologista, fala em entrevista a respeito de Senilidade Precoce.

O que é senilidade precoce? Quais as causas que levam aparecer na pessoa?
Senilidade é derivada da palavra “senil”, que por sua vez, tem significado na palavra “demência”. É um processo de perda ou redução progressiva das capacidades cognitivas (pensamento, memória, raciocínio, atenção, entre outras), prejudicando a autonomia do indivíduo. Está relacionada ao processo de envelhecimento cerebral e terá sua influência maior ou menor conforme a predisposição de cada pessoa. Ou seja, algumas pessoas irão sentir mais cedo do que outras e com maior intensidade.
A palavra “demência” caiu em desuso e foi substituída por “doença de Alzheimer”. Na última década, percebeu-se que muitas pessoas apresentavam sintomas similares aos do Alzheimer, mas não o suficiente para receber o diagnóstico, contudo, o termo “Senilidade precoce” passou a ser utilizado para definir esses sintomas.
Uma das primeiras indicações de que essa redução progressiva possa estar acontecendo, são percebidos através de pequenas “falhas” do cérebro nas atividades diárias, os esquecimentos, os “brancos”, indicando que a memória está tendo dificuldades para ser acessada.
Nosso cérebro é como um computador, armazenamos as informações ao decorrer da vida e para lembrarmos algo precisamos acessar esse dado e fazemos isso o tempo todo. Quando começa haver lentidão, ou algum fator que demonstre que não conseguimos esse acesso, algo está errado.

Quais os sintomas?
Sintomas cognitivos: perda de memória de curto prazo, níveis baixos da capacidade de concentração, atenção é breve e prejudicada, dificuldade no raciocínio lógico, dificuldades na noção de espaço e tempo, confusão mental.
Sintomas emocionais: depressão, ansiedade, irritabilidade, agressividade, alteração do humor.
Sintomas comportamentais: problemas na coordenação motora, perda da força muscular, dificuldade em se movimentar rapidamente, de se abaixar, de caminhar.

Pode ser considerada uma doença?
Como faz parte do processo de envelhecimento do cérebro, é inevitável que alguns sintomas não existam na nossa vida, principalmente após os 60 anos. Quando passa para sintomas mais intensos, frequentes e que limitam a vida do indivíduo, passa a ser considerado como “doença de Alzheimer”. A precocidade é considerada quando esses sintomas aparecem antes dessa faixa etária, por exemplo, uma pessoa com 45 anos que apresenta os sintomas de forma leve e que aos 50 anos já está mais comprometido.

E como funciona o tratamento?
Para questão do tratamento é importante que se procure um médico, neurologista, geriatra, que possa estar realizando o diagnóstico. É relevante descartar qualquer causa de outro problema. Na questão emocional, o psicólogo poderá auxiliar não só o paciente, mas também os familiares a enfrentarem essa dificuldade.
O tratamento se dá através de medicamentos, exercícios mentais, alimentação saudável, exercícios físicos e psicoterapia.
Jogos de memória, cálculo, palavras, são importantes, bem como a leitura e o hábito de fazer palavras cruzadas. Exercícios de respiração também são relevantes, pois oxigenar o cérebro faz com que suas capacidades cognitivas possam acontecer mais rapidamente.
Alguns profissionais que ajudarão no tratamento: neurologistas, geriatras, nutricionistas, terapeutas ocupacionais, psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais, fisioterapeutas, educadores físicos, entre outros.

DSC_0098

Os comentários estão fechados.

Scroll To Top