domingo , 8 dezembro 2019

Um sonho de criança: ser POLICIAL MILITAR

Esta semana o jornal A Folha traz uma reportagem como forma de homenagem às crianças, as quais são o futuro do nosso mundo e também aos policiais, que atuam diuturnamente pela segurança de todos.

Os policiais que atuam no 5º RPMon, com sede em Santiago, dedicaram o seu tempo de folga para participar da reportagem do jornal A Folha. Assim como já vem acontecendo há algum tempo, as crianças cada vez mais demonstram seu carinho pela polícia. Nesta matéria, contamos com a Yasmin da Luz Sacardi e o Lorenzo Machado Silveira, duas crianças que tem um sonho em comum, ser policiais. Sabe por que? Porque eles querem proteger, assim como fazem os policiais.

Durante suas visitas ao quartel, as crianças tiveram a oportunidade de conversar e também fazer fotos junto aos policiais da ROCAM – Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas. É importante destacar que o comando do 5° Regimento de Polícia Montada apoia a ideia.

Com base no PROERD – Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência -, o policiamento comunitário, além de trabalhar com a prevenção ao uso de drogas e orientar crianças e adolescentes em suas escolhas e decisões diante de situações de risco, resulta em uma aproximação das crianças com a Brigada Militar. Os pequenos passam a admirar a profissão Policial Militar, vindo a demostrar o carinho, curiosidades do trabalho desenvolvido pelos profissionais, além de desmistificar o sentimento de receio ou medo induzido em relação à profissão.

No 5º RPMon, o trabalho realizado cria vínculos com as crianças, buscando aproximá-las dos policiais que interagem com sentimentos de alegria e orgulho, por serem exemplos a ser seguido.

Os policiais, além de preparados para atender diversas situações, ocorrências oriundas do dia a dia, são seres humanos que possuem sentimentos, e muitas vezes se despedem de seus filhos e vão proteger outros filhos, de outras famílias, desempenham com dedicação e atenção aos pequenos que sonham exercer a profissão, ou demostram admiração. Às vezes, uns minutos para tirar uma foto, uma palavra, um aperto de mão, um sorriso, fazem a diferença na vida deles, tornando-se uma marca positiva em seu crescimento.

Muitos já se perguntaram o que querem ser quando crescer. “Policial militar” é a resposta imediata dos pequenos. “Quanto mais cedo a criança conhecer vários personagens e pessoas que podem ser um exemplo positivo para ela, só vai agregar. Ela vai acabar optando por algum e, aqueles outros que ficam no inconsciente dela, vão trazer uma pessoa mais completa, porque nós somos um total de referências”.

A redação do jornal também conversou com os policiais da ROCAM, eles foram questionados sobre como é atender uma ocorrência com crianças e também como se sentem ao receber o carinho dos pequenos.

Sd Clauber: Uma ocorrência que envolve crianças é muito complexa. Não só com crianças, mas também quando envolve Maria da Penha, os pequenos já têm receio pelo que vive em casa, então sempre procuramos dar uma atenção especial, para que o dano seja um pouco menor no crescimento desta criança.

Às vezes estamos trabalhando, quando vêm os pais com seus filhos, e ouvimos a frase: “não teima se não a polícia vai te pegar”, com isto as crianças crescem com medo da polícia, sendo que o certo teria que ser ao contrário, porque não estamos ali para assustar ninguém, mas sim para proteger e dar segurança a elas.

Sd Renan: A criança absorve muito mais o problema, qualquer situação em que ela tenha um alto nível de estresse, sempre procuramos de uma forma ou outra, fazer com que a criança não seja afetada, porque mesmo ela não estando envolvida diretamente com a ocorrência, ela é quem mais sente e leva isto para a vida toda.

As crianças crescem com receio, e hoje em dia, elas, infelizmente, são as primeiras a serem usadas para o tráfico. Quando ouvimos que uma criança quer seguir nossa profissão, é gratificante, pois elas são nosso futuro e enquanto tiver uma criança que se espelha em nós, isso é motivador. E, um que nós salvarmos, dentre muitos que estão perdidos, para nós vale muito.

Sd Clésio: Ocorrência com crianças são complicadas, ainda mais que a maioria de nós, somos pais, mas temos que deixar a emoção de lado e fazermos nosso trabalho. Quando uma criança tem o sonho de ser policial, isso nos motiva muito, ainda mais nos tempos de hoje, nos dá mais garra, nos faz sentir como gladiadores, anjos. Fazemos nosso trabalho com muita dedicação e responsabilidade, sempre pensando no bem da comunidade.

“Quando dispensamos estes minutos com as crianças, com certeza eles levarão para o resto da vida, no momento que alguém quiser um contato conosco, estaremos à disposição para uma conversa, uma foto”, comentaram os policiais. Segundo eles, esta é uma das partes mais motivadores do dia.

Os instrutores do PROERD, Sd Gibicoski, Sd Mayara e Sd Régis, também falaram sobre a importância da aproximação dos policiais nas escolas, segundo eles, o PROERD não é somente referência à resistência às drogas, mas também faz com que os alunos tenham mais responsabilidades, e saibam buscar o caminho certo a seguir para se tornarem cidadãos de bem.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sd Gibicoski, Sd Régis, soldados da ROCAM, durante evento social alusivo ao Dia da Criança

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sd Mayara, juntamente com seus alunos PROERD
 

Os comentários estão fechados.

Scroll To Top